ROLIM DE MOURA: Prefeitura recupera ponte da Linha 200 Norte


ROLIM DE MOURA: Prefeitura recupera ponte da Linha 200 Norte

Estrutura foi totalmente refeita e amarrada para suportar a força da água Da Assessoria

 

 

 

A Prefeitura de Rolim de Moura entregou oficialmente neste sábado (10) a obra de recuperação da ponte sobre Rio Bambú, na Linha 200, km 6. A travessia de um lado para outro da vicinal estava interditada havia quatro anos, depois que a força das águas levou a estrutura antiga. Desta vez, a base e o madeiramento foram totalmente reconstruídos e amarrados para evitar novos acidentes.

De acordo com o secretário de obras do município, Eziquiel Sehnen, foram 45 de trabalho duro da equipe municipal de pontes para restabelecer o tráfego pelo local. O custo total da obra ficou em torno de R$ 100 mil de recursos próprios da Prefeitura, fruto de emendas parlamentares dos vereadores Diego Tassi, Fabrício Melo e Mani Rocha.

“Contamos também com a ajuda da comunidade aqui da linha que nos apoiou com parte da madeira mais bruta, mas tivemos que comprar as pranchas e refazer a estrutura de concreto dos pilares. Amarramos bem tudo e também fizemos estaios junto à margem para evitar que força da correnteza leve embora essa ponte como vimos no passado”, explicou.

A cerimônia de entrega contou com a presença do prefeito Cesar Cassol, o vice Luizão do Trento e secretários municipais. Também participaram moradores locais, como o presidente da associação de produtores da Linha 200 Norte, Antônio Gomes. Para ele, o trabalho demorou, mas disse ter gostado da qualidade do trabalho desenvolvido pela equipe da secretaria de obras.

“Está diferente. Foi erguida, está pelo menos 1,80m mais alta que a ponte anterior e também está amarrada na margem. Isso vai fazer a diferença. Agora podemos passar por aqui de forma tranquila e evitar o transtorno de ter que dar a volta pelo travessão, o que nos custava pelo menos dez quilômetros à mais para ir e para voltar à cidade”, lembrou o sitiante.

Em seu discurso, o prefeito Cesar lembrou que seu objetivo era construir aquela ponte de concreto. Citou que a equipe da prefeitura chegou fazer as medições, elaborou todo o projeto e entregou ao Ministério das Cidades para alocar recursos federais para a obra. Mesmo assim, o Governo Federal não liberou o dinheiro, obrigando a prefeitura a refazer a estrutura com madeira.

“Sem a ajuda da União não temos como fazer uma ponte como essa de concreto. Custa milhões. Mas também não podemos esperar pela boa vontade da presidente. É nosso dever dar a trafegabilidade necessária para quem planta, quem tem gado, quem produz leite, para que essa produção chegue à cidade. Por isso que fizemos com recursos próprios. Tenho certeza que ela vai durar muito tempo e atender bem os produtores dessa região”, argumentou.


Links Úteis