Votação apertada garante devolução de recursos do convênio “Título Já”


Votação apertada garante devolução de recursos do convênio “Título Já”
 
Uma votação apertada com o placar de 5 votos favoráveis a devolução e 4 votos contrário, marcou um dos principais projetos do executivo.
 

Fonte:
 Assessoria Câmara Municipal
 
Publicado por: Rolnews.com.br em 05/11/2014 às 01:16:00
 
Uma votação apertada com o placar de 5 votos favoráveis a devolução e 4 votos contrário, marcou um dos principais projetos do executivo municipal, a devolução de recursos do convênio “Título Já”, colocado em apreciação na sessão ordinária dessa segunda feira, dia 03 de novembro, no Plenário da Câmara Municipal de Rolim de Moura.
 
A discussão teve início ainda pela parte da manhã, durante reunião da Comissão Permanente de Legislação, Justiça e Redação Final, com a presença do Secretário Adjunto da SEAGRI, Sr. Adilson Júlio, convocado através de requerimento assinado pelos vereadores João Rossi Júnior “juninho” que é relator, e Cícero Sérgio Lopes “Sérgio Sequessabe” que é presidente da comissão. A convocação se deu por que estava em pauta a devolução de mais de 250 mil reais aos cofres do Governo do Estado, referente a um convênio firmado entre a Prefeitura Municipal e o Governo com referência ao projeto “Título Já”, que segundo o mesmo seria para beneficiar aproximadamente 6 mil pessoas, mas devido a negligência do executivo municipal, apenas pouco mais de 756 pessoas foram realmente beneficiadas e, agora o município deverá devolver os recursos aos cofres do Estado.
 
Durante a reunião o Secretário Adjunto, Adilson Júlio, informou que o município além de perder o prazo de execução do convênio, também negligenciou na prestação de contas, algo que não fez até o momento e, com um agravante, ao ver que havia perdido os prazos tentou burlar, enviando um ofício com data de 02 de junho, haja vista, que o prazo para pedir a prorrogação havia vencido no dia 18 de junho, mas tal ofício só foi protocolado na SEAGRI, no dia 23 de setembro, às 10h40min, conforme se pode confirmar o recebido por uma servidora do órgão.
 
Preocupado com o acontecido e principalmente com a falta de gestão e negligência do poder executivo municipal, os integrantes da Comissão de Legislação e Justiça, durante a sessão ordinária, solicitaram do Prefeito Municipal a abertura de um processo administrativo para detectar as falhas e, descobrir quem realmente causou prejuízo a população. Juninho foi além “tal relatório deverá ser encaminhado também ao Ministério Público para as providências cabíveis”, disse o vereador. Aparteado pelo Presidente da Casa Vereador Jairo Benetti, esse foi além “não é possível que sejamos aqui apenas informantes do MP, temos que tomar as atitudes que são do poder Legislativo, inclusive se for o caso a abertura de uma CPI para apurar as responsabilidades e, com documentos comprobatórios em mãos, após a realização dessa Comissão Processante, que é um instrumento da minoria, possamos encaminhar a justiça para os procedimentos de praxe”, Disse Jairo, acrescentando que essa administração está brincando com a população.
 
Após as discussões de praxe, o projeto foi colocado em apreciação, tendo votado contra a devolução dos recursos, os vereadores: João Rossi Júnior “Juninho”, Sérgio Sequessabe, Roberto Diniz e o vereador Vanderilo Nogueira. Já o Vereador Mani Rocha não estava presente na sessão.
 

Links Úteis